A Radiestesia como instrumento de avaliação clínica. 8 de junho de 2018 – Publicado em: Artigos

Ainda é muito pouco difundida a amplitude e a precisão da radiestesia clínica como forma de compreensão da origem dos desequilíbrios físicos e psicológicos.

Existem vários meios, aparelhos e instrumentos que são utilizados pela radiestesia para chegar às conclusões de diagnósticos desde medições feitas com o auxílio de pêndulos até a avaliação através de gráficos de forma, cuja especialidade é denominada Radiônica.

Através dessas práticas podemos encontrar especificamente, por exemplo, a origem das dores em geral, dos incômodos não tão localizados e principalmente qual órgão ou estrutura (sistema) é o vilão de todo o mal estar. Também no plano emocional com o auxílio do exame radiestésico temos como diferenciar os vários tipos de depressão (cada um tratado de forma diferente), assim como descobrir o porquê das ansiedades e inseguranças, o motivo da insônia, enfim, sabendo a origem fica mais fácil ajudarmos o paciente a se resolver nas suas dificuldades.

Não podemos desprezar a importância de uma entrevista bem específica e das observações de detalhes físicos e posturais do paciente associando às avaliações radiestésicas para então chegarmos ao medicamento correto ou à técnica mais adequada para o tratamento.

A radiestesia é um dos melhores meios de diagnóstico crônico ou agudo, mesmo preventivo.

O aprendizado é simples, mas requer um profissional experiente para transferir as informações mais adequadas. Livros são raros e muitos complicados.

Depois, a prática, muito prática para realmente podermos assimilar o conhecimento.

« A Radiestesia como método preventivo.
Sal do Himalaia »