Energético não é estimulante; depressão não é tristeza. 8 de junho de 2018 – Publicado em: Artigos

O termo energético, muito mal empregado em nossa atual sociedade, não significa algo que nos acelera diretamente.

Energético significa algo que vai repor suas necessidades de combustível, mas é o indivíduo que decide se vai acelerar ou não.

Por isso quando se está cansado mental ou fisicamente necessitamos de energéticos.

Se você utilizar um estimulante quando se sentir esgotado, vai imediatamente gastar mais ainda o combustível que já está em baixa.

Exemplos de estimulantes: café, chá mate, chocolate preto, guaraná.

Exemplos de energéticos: gengibre, pimenta, brotos, essências de cristais, algumas fitoterapias como hipérico e ginseng.

Outros conceitos algumas vezes são muito mal empregados, podendo ocasionar erros de diagnósticos e principalmente erros na indicação de produtos terapêuticos adequados, como é o caso do termo depressão.

Literalmente significa uma desaceleração de quase todas as funções orgânicas, da mente aos órgãos internos.

Existem vários tipos de depressão e resumindo podemos citar duas mais comuns: a depressão reativa e a depressão endógena.

A depressão reativa é um estado depressivo consequente a um choque emocional, por exemplo, a perda de um ente querido.

Os sintomas mais comuns são tristeza, emotividade (choro constante), falta de vontade de exercer as suas atividades do dia a dia, perda do apetite. Na maioria dos casos o indivíduo melhora com a presença de pessoas queridas.

A depressão endógena é uma doença hereditária, isto é, o indivíduo já nasce com a predisposição e mesmo sem nenhuma situação emocional traumática pode apresentar os sintomas que são:

– dores de cabeça;
– dores generalizadas pelo corpo (fibromialgia);
– falta de vontade de viver;
– isolamento;
– não necessariamente apresenta emotividade;
– irritabilidade;
– insônia;
– sente que a vida perdeu o sentido;
– não melhora com a presença e o cuidado de pessoas queridas.

 A depressão reativa tende a melhorar com o tempo e o melhor remédio é não lutar contra, isto é, não sair quando sente vontade de ficar em casa, quieto, “em luto”.

Deve chorar quando sentir vontade e falar bastante sobre o fato que gerou a situação depressiva.

A depressão endógena requer tratamento medicamentoso e muitas vezes acompanhamento psicoterapêutico.

A depressão reativa é muito bem tratada e resolvida pelas essências de cristais, mas no caso da depressão endógena, essas mesmas essências devem ser indicadas apenas como produtos complementares aos medicamentos convencionais, nesse caso atenuando os sintomas e acelerando o processo de recuperação.

Por isso sempre que um indivíduo sente que não está em equilíbrio deve procurar profissionais experientes e qualificados para um diagnóstico preciso e a conseqüente indicação dos produtos terapêuticos adequados e assertivos.

« Cabalah
A Filosofia Taoísta. »